Aumento da Selic: como garantir as menores taxas do consignado?

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Aumento da Selic: como garantir as menores taxas do consignado?
Apesar do momento de elevação da taxa Selic, o empréstimo consignado continua sendo uma ótima opção. (Foto: Freepik)

Em 15 de junho, o Banco Central anunciou o aumento da taxa Selic para 13,25% ao ano. Esse é o maior índice de juros desde janeiro de 2017. Os motivos por trás da decisão foram o aumento na inflação e uma perspectiva pessimista de crescimento global.

A Selic é o principal recurso utilizado pelo Banco Central para o controle da inflação – e isso explica a alta dos juros. Essa taxa impacta diversas transações financeiras, como investimentos, empréstimos e financiamentos.

Em um momento de elevação da taxa Selic, é importante pensar em opções de empréstimos que possuam taxas naturalmente baixas. Você sabia que, mesmo neste cenário de alta de juros, o consignado está entre as modalidades de crédito mais econômicas do mercado?

Hoje, o Blog da Bem mostra por que segue valendo a pena fazer um empréstimo consignado. Confira!

Comparativo de taxas

Embora ajude a frear a alta de frear a alta de preços, o aumento da Selic acaba puxando para cima a taxa dos empréstimos. Isso acontece porque esse indexador impacta diretamente nas operações que possuem os títulos públicos federais como garantia. Os bancos baseiam-se nessa taxa para determinar os valores que serão cobrados de seus clientes.

Dessa forma, se a Selic aumenta, o custo de captação dos bancos também cresce. Para conservarem o lucro, as instituições financeiras repassam a diferença para o consumidor final por meio de uma elevação nas taxas de juros.

E o consignado?

O empréstimo consignado é um dos que possui as menores taxas do mercado. Isso porque o valor das parcelas é descontado diretamente da folha de pagamento ou do benefício do INSS. Assim, os bancos possuem uma maior garantia de que não haverá inadimplência.

O aumento da Selic também terá reflexos no consignado. Essa elevação nas taxas, entretanto, não é imediata e nem mesmo homogênea. As instituições financeiras podem variar na cobrança de juros (que nem sempre seguirá o mesmo percentual da Selic).

Por isso, vale a pena fazer uma pesquisa de mercado para garantir os menores juros e ter todas as vantagens do empréstimo consignado.

Como garantir taxas baixas?

Aqui, o tempo é um item importante. Como o repasse da Selic não é imediato, há um período em que as taxas se mantêm inalteradas até a adequação ser feita pelos bancos. Ou seja, quanto antes o empréstimo consignado for solicitado, maior será a chance de que as taxas não tenham sido afetadas pelo aumento.

Como encontrar as menores taxas

Apesar da elevação dos juros, o empréstimo consignado tende a ter um aumento nos juros inferior ao das demais linhas de crédito. Isto é, mesmo com a alta da Selic hoje, ainda é possível garantir taxas baixas.

Para tanto, é importante considerar que a cobrança de juros possui diversos fatores que podem influenciar no valor final. Dentre eles:

  • Perfil do contratante
  • Condições de contrato;
  • Valor a ser emprestado;
  • Prazo de pagamento.

É possível prever, portanto, que as taxas de juros não serão iguais para todos os casos. Avaliar as possibilidades e os juros trazidos por elas em uma simulação auxilia a encontrar a proposta que cabe no seu bolso.

Comparativo de taxas

Além disso, é possível comparar as taxas oferecidas no mercado e ficar atento para mudanças na cobrança de juros trazidas pela Selic. O último aumento da Selic havia ocorrido entre janeiro e fevereiro de 2022.

Confira como foi a mudança da parcela mensal do consignado naquela oportunidade. Fizemos uma simulação para empréstimos de R$10 mil:

Modalidade de consignadoJaneiro 2022Fevereiro 2022
Consignado PrivadoR$222,94R$260,55
Consignado INSSR$161,52R$186,61
Consignado públicoR$125,61R$155,91

Empréstimo consignado x Empréstimo pessoal

É possível notar a vantagem do empréstimo consignado quando o comparamos com o empréstimo pessoal. Segundo os dados do Banco Central, a taxa média do crédito pessoal pode ultrapassar 1.000% ao ano. Já o empréstimo consignado chega a, no máximo, 102,54% ao ano. Ou seja, possui uma taxa máxima dez vezes menor.

Assim, mesmo com o eventual impacto da alta da taxa Selic hoje, o crédito consignado continua sendo uma das melhores opções para quem precisa de um reforço no orçamento, seja para realizar projetos ou equilibrar as contas.

Artigos relacionados

Margem consignável volta a subir para 40%

Entenda as novas regras do empréstimo consignado para 2022

Cheque especial ou empréstimo consignado: qual a melhor escolha?

Pensando em pedir um empréstimo ou um cartão de crédito consignado? O site da Bem Promotora oferece informações adicionais relativas ao tema. Lá, você também encontra ótimas opções para diversos tipos de clientes, inclusive negativados. Simule sua proposta com a gente.